O que aprendi assistindo The Avengers

Sério, esse é o filme mais fodástico de super heróis que já assisti (melhor até mesmo que X-Men First Class). Eu sai da sala do cinema impressionado, não pelos efeitos especiais, ou pelas cenas de lutas, ou simplesmente porque todos disseram que o filme era bom. O mais impressionante do filme são as lições que você aprende sobre trabalhar em equipe.

Sabe as vagas de emprego que você vê por aí em listas e sites, as vezes eu penso que existe um site que gera isso (hmm… ideia interessante), porque tem umas partes que são praticamente padronizadas. Uma delas é justamente “Trabalhar bem em equipe” ou “Gostar de trabalhar em equipe”.

Trabalhar em equipe é bem mais do que aquela frase clichê de que “um supri as dificuldades dos outros”. Juntar vários especialistas não quer dizer que a equipe é multidisciplinar. Apesar de ser meio batido, os valores propostos pelo XP definem bem o como trabalhar em equipe [1].

Os problemas com a Comunicação e Feedback são evidenciados quando Tony Stark fala que os segredos dos diretor Fury tem segredos. E isso quebra a Coragem e o Respeito da equipe, que acaba por entrar em colapso, levando o projeto a uma falha iminente. A melhor equipe do mundo, com os melhores recursos não consegue ter a Simplicidade para resolver a situação (tudo bem que essa é a parte que dá a emoção ao filme :D).

Eis que surge então a motivação para a equipe. Em um momento do filme o diretor Fury diz “But I believe, with the right push, they can be a team”. Ou seja, o grande lance de trabalhar em equipe não é (exatamente) o salário, o ambiente, o horário de trabalho, promoções, etc. Trabalhar em equipe é uma questão de motivação.

Se toda a equipe quer realmente resolver o problema, ele será resolvido mais cedo ou mais tarde. Agora se a equipe quer apenas ficar 8 horas no escritório para receber o salário no final do mês, acredite, nem mesmo dobrando o salário de todos o projeto terá um sucesso garantido. E essa questão da motivação é tão profunda que aconselho a leitura do post sobre Gestão Moderna no blog da Aspercom [3].

Outro ponto importante ao se trabalhar em equipe é a liderança. Quem é o líder do grupo? O diretor Fury está mais para um Gerente de Produto do que para um líder. Ele negocia com aquelas silhuetas no monitor, isolando a equipe e deixando que eles trabalhem. Ele confia na sua equipe. Lógico, ele os chamou. Se você vai escolher com quem quer trabalhar, com certeza escolheria adultos responsáveis e não crianças que precisam de supervisão o tempo todo. O diretor Fury não chega para o grupo e pergunta: “E ai, como estamos?”

A verdade é que não existe um líder, pois um vez que o grupo está motivado, o grupo age como um time de verdade, ou seja, todos assumem as responsabilidades e todos confiam nos outros. Quem dá as ordens? O Capitão América? Sim. O Homem de Ferro? Sim. Até mesmo o Gavião Arqueiro (de Hawkeye para Gavião… putz…) dá ordens. E em nenhum momento a equipe briga por estar recebendo ordens, até mesmo Tony Stark aceita as ordens que recebe.

Nem mesmo as diferenças entre a equipe atrapalham quando eles estão motivados. Clint e Natasha não tem super poderes, mas ainda assim a equipe sabe o valor que cada um deles tem. Nenhum deles se acha superior aos outros, independente de super poderes ou qualquer outra coisa. Preciso citar algo sobre Gerentes de Projetos vs Desenvolvedores? Não né?

Sabe aquela situação em que alguém diz: “Precisamos colocar uma pessoal responsável por tal atividade” , ele está dizendo na verdade que: “Alguém precisa ser culpado caso não dê certo”. A necessidade de um líder grita na cara da equipe que eles são irresponsáveis e que alguém precisa ficar puxando a orelha deles.

Sabe aquela técnica dos 5 Porquês [4]? A ideia é perguntar várias vezes “porquê” até achar a causa raiz do problema. Mas muitas organizações, inclusive o nosso governo, trabalham com a técnica dos 5 Quem. Perguntar várias vezes quem até achar um estagiário para culpar.

Talvez a formação militar do Capitão América dê a ele mais condições de organizar taticamente o grupo, e por isso o grupo ouve o que ele tem a dizer, isso é ser um líder. No entanto, quando o Gavião está no topo do prédio ele possui uma visão melhor, por tanto ele organiza a equipe, tomando para si a responsabilidade da decisão e agindo como um líder.

Esta frase define bem o filme: “This scene wasn’t a 15-year-old fanboy’s dream. And it wasn’t a really great Halloween party in Hollywood, but something much bigger.” [2]

E você? Prefere trabalhar com os Vingadores, ou ter sua certificação Scrum Master?

Refrências

[1] Valores do Extreme Programming, http://improveit.com.br/xp/valores

[2] ‘The Avengers’ enjoy benefits of teamwork, http://www.suntimes.com/entertainment/movies/12131098-421/the-avengers-enjoy-benefits-of-teamwork.html 

[3] Gestão Moderna, http://blog.aspercom.com.br/2012/03/20/gestao-moderna/

[4] 5 Porquês? http://ogerente.com/logisticando/2007/02/02/5-porques/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s